Kojji



MASSAGEM EM GESTANTES E BEBÊS


 

Massagem para Gestantes (Pré e Pós Parto)  e Bebês

30 min R$ 30,00 - 60 min R$ 45,00

- pacotes sob consulta.

(Localizada ou Corpo Inteiro)

 

A massagem na gestante é realizada através de toques leves e harmoniosos, estimulando o despertar para uma nova consciência do seu corpo.

Ao tocar numa área do corpo onde se apresenta uma maior acumulação de tensão, ajuda esse bloqueio a dissolver-se, gerando assim maior fluidez energética no organismo.

O medo, a ansiedade e o stress podem acumular tensão, que por sua vez pode originar desequilíbrios como mal-estar e desconforto muscular (ombros, pescoço, costas, região lombar e pernas), desregulando a correcta utilização de energia no geral. Na massagem é utilizado um óleo/creme especial adequado a gestatntes.

Benefícios da Massagem em gestantes

- Promove o relaxamento e bem-estar (acalmando)

- Auxilia no alívio de tensões e desconforto muscular

- Auxilia a circulação de retorno venoso das pernas.

Durante a gestação, as mulheres sofrem com diversos desconfortos, como lombalgias, dores e inchaços nas pernas, cólicas abdominais, estrias, enjôos e sensibilidade emocional devido às alterações orgânicas da gravidez. A massagem auxilia na redução desses sintomas desagradáveis. Ela relaxa a musculatura tensa, melhora a circulação, beneficia a elasticidade da pele, melhora o trânsito intestinal, combate espasmos musculares, remove aderências e acalma o sistema nervoso.

Field (2003, p.36), sugere o uso da massagem em grávidas, tanto para uma melhora estética e facilidades no parto, como para os benefícios ao bebê, que responde a massagem desde o ventre materno:
"O contato adiantado parte do começo da gravidez. As mulheres grávidas aplicam freqüentemente o óleo de massagem em seu abdômen para impedir marcas do estiramento após o nascimento. Os ginecologistas incentivam também massagem a área em torno da abertura vagina, que é esticada e rasgada freqüentemente durante o parto. As classes naturais de parto ensinam assistentes das mulheres a massagearem-nas durante o trabalho de parto para ajudar à circulação, à contração do útero, e à remoção da placenta. O feto pode sentir esta estimulação e responder como fizeram nos dispositivos vibrando, de acordo com investigadores nos Estados Unidos e França, que gravaram a atividade fetal em resposta a massagem."


A massagem pode auxiliar no preparo para um parto natural e sem dor, através do alongamento passivo e relaxação da musculatura pélvica. Esta massagem irá preparar o corpo e a mente da mulher para ter um parto agradável e tranquilo. É sabido que a massagem promove a liberação de substâncias endógenas, neurotransmissores e neuropeptídeos que trazem a sensação de tranqüilidade e bem estar.

 

De acordo com Field (2003), a massagem infantil é praticada na maior parte do mundo, em países como Nigéria, Uganda, Índia, Bali, Fiji, Nova Guiné, Nova Zelândia,Venezuela e Rússia, as crianças recebem massagem com óleo depois do banho diário e antes de dormir durante os primeiros meses de sua vida. São partes do costumes culturais puerperais nestes países.

No ocidente a massagem infantil tem sido descoberta e pesquisada mais recentemente. Mesmo assim, em quase todas as cidades dos Estados Unidos ensina-se aos pais como aplicar massagem terapêutica nos bebês. A técnica que eles usam são baseadas em dois massoterapeutas treinados na Índia e Vimala, Schneider MacClure e Amélia Auckett (FIELD, 2003).

Os bebes e crianças reagem positiva e rapidamente à massagem, sendo esta um recurso natural, isento de efeitos colaterais e iatrogênicos é o mais indicado na recuperação e manutenção da saúde. Fortalece naturalmente as defesas orgânicas e o equilíbrio homeostásico, melhorando a capacidade do próprio corpo para combater as doenças.

Conforme Miriam Galilee, Massoterapeuta e Instrutora rm sua obra Infant Massage: The Loving Touch os benefícios físicos da massagem em crianças afetam todos os sistemas do corpo: 
- Aumenta a capacidade cardíaca.
- Faz a digestão e respiração mais eficientes.
- Aumenta a circulação, e acelera o desenvolvimento do sistema nervoso.
- Aumenta o ganho de peso e melhora o sono.
- Alivia o estresse, gases e cólicas.
- Aumenta a consciência corporal da criança.

T. Field, T Kilmer & I. Burman em Desenvolvimento na Primeira Infância e Cuidados relatam que um estudo verificou que em crianças com idade pré-escolar o seu ritmo de vígilia-sono melhorou após uso da massagem infantil.

De acordo com o site da IAIM (International Association of Infant Massage, 2011) os benefícios da Massagem Infantil para os bebês, crianças, pais e encarregados de educação são:

• Ligação mãe e bebe.
• Relaxamento.
• faz o bebê sentir-se amado.
• Promove um sono melhor .
• Facilita a consciência corporal.
• Estimula o sistema imunológico.
• Estimulação Sensorial.
• Melhora a condição da pele.
• Melhora a circulação sanguínea.
• Ajuda a digestão.
• Equilibra a respiração.
• Alívio de dores de dentição.
• Ajuda a eliminação de resíduos (metabólicos).
• Ajuda você a aprender sobre o seu bebê (suas necessidades e desejos).
• Os pais relaxam.
• Ajuda a construir auto-estima dos pais e do bebê.
• Experiência prazerosa.
• Estimula a produção de oxitocina (ocitocina é um hormônio que pode ser produzido tanto por pessoas do sexo masculino e feminino durante a massagem. É útil como um analgésico e tem um efeito calmante sobre a pessoa.) 

Ainda IAIM : ”Os pais podem se beneficiar particularmente de massagem infantil. Dá-lhes tempo para se conectar e interagir com seu filho em um nível mais profundo do dia-a-dia proporciona contato. Massagem Infantil é também benéfica para crianças com necessidades especiais e crianças mais velhas e facilita a compreensão mais profunda de integração e relação com seus pais e cuidadores..”

Para o Dr. Frederick Leboyer, médico e obstreta francês, “ser levados, embalados, acariciados, pegos, massageados constitui para os bebês, alimentos tão indispensáveis, senão mais, do que vitaminas, sais minerais e proteínas.” A massagem infantil permite que os pais estimulem o seu bebê e o descontraiam, numa interação reciprocamente agradável (Leboyer, 1995).

De acordo com Sostek & Goldson (1999) os mecanismos fisiológicos pelos quais a massagem é efetiva ainda não é bem compreendido, mas podem ser explicados pelas alterações nas secreções hormonais responsáveis pela absorção de comida e redução de stress.

 

O toque tem uma função importante no trofismo orgânico e no desenvolvimento emocional e na capacidade de socialização e contato com o próximo. A massagem estimula a pele e o sistema sensorial, promovendo a liberação de importantes substâncias no desenvolvimento orgânico. Ao mesmo tempo, reforça positivamente as associações intra-psíquicas de contato.

A base das relações e interações sociais, bem como das relações posteriores e os fundamentos para o seu crescimento sócio-emocional é formado nas relaçãos primordiais dos bebês com os pais e prestadores de cuidados significativos (Ainsworth, 1973; Bowlby, 1969; apud VandenBerg & Hanson, 1993).

 

De acordo com um estudo do departamento de pediatria na Universidade de Miami School of Medicine, a massagem em bebês prematuros propicia maior ganho de peso. Os pesquisadores estudaram os efeitos da massagem em trinta bebês prematuros, cujas mães foram expostas à cocaína, que foram aleatoriamente designados para receber massagem terapêutica ou colocadas em um grupo de controle.
 

Metade dos bebês recebeu três massagens de 15 minutos durante um período de três horas consecutivas por dia durante dez dias. Os quinze bebês que receberam aplicações de massagens foram monitorados quanto ao ganho de peso, complicações pós-natais e as habilidades motoras e comparados com os bebês no grupo controle.
 

Houve um ganho maior de peso de 28% nos bebês massageados em relação ao grupo de controle. Os bebês do grupo de massagem também apresentaram significativamente maior desenvolvimento motriz e menos complicações pós-natais e comportamentos de stress que o grupo controle.
 

Conforme Drehobl & Fuhr (2000) e Heath & Bainbridge (2000) a massagem em bebês prematuros promove os seguintes resultados:

Reduz a sensibilidade táctil e diminui as dores.
Ajuda na regulação da irritabilidade extrema.
Aumenta a quantidade de movimento.
Fornece uma sensação táctil calmante e com prazer.
Facilita uma interacção positiva entre o bebé e o prestador de cuidados.
Promove respostas adaptativas apropriadas ao desenvolvimento, como por exemplo, levar a mão à boca e uma postura flectida.
Aumenta a obtenção de peso.
Estimula o crescimento e desenvolvimento do bebé.
Melhora a digestão e o metabolismo.

A massagem auxilia também no caso crianças com necessidades especiais, na relaxação dos músculos hipertônicos ou no estimulo dos músculos hipotônicos, ajuda a acalmar, favorece o aumento de peso, melhora a digestão e reduz os gases intestinais.

 

As investigações comprovam que crianças privadas do toque podem tornar-se adultos inseguros, ansiosos, insatisfeitos, carentes afetivos e com baixa auto-estima. Por outro lado, as crianças que receberam carinho, toque e massagem, se tornam adultos mais confiantes, sociáveis e tranquilos.
 

Hammet (1992) Montagu (1986) e Harlow (1958) demonstraram em animais de laboratório que a estimulação tátil é muito importante para promover o crescimento físico, bem como a adaptação saudável das emoções e do comportamento. Investigações na universidade de Duke identificaram nos ratos a existência de um gene de crescimento específico, que se ativa em resposta à estimulação tátil.
 

Para Montagu (1986) a estimulação táctil (toque nutritivo) é uma das maneiras encontradas pelos pais para facilitar ao bebê “transição do útero para o mundo”. De uma maneira ou de outra, o nascimento é sempre um evento traumático, em maior ou menor grau. A massagem ajuda atenuar essas sequelas, quando o bebê recebe carinho e afago, resultando numa interpretação de que o mundo é um lugar acolhedor, o que irá repercutir diretamente nos padrões de relacionamentos futuros.
 

Em Feboer, Pediatrics, (2004) encontramos que “o simples contato pele com pele entre a mãe e o bebê durante 15 a 20 minutos após o parto, origina que logo após 4h de vida, o bebê fosse capaz de dormir mais (melhor organização dos estádios do sono) e tivesse mais posturas em flexão (melhor modulação do sistema motor).
 

No caso de mães deprimidas, a Massagem Infantil já provou ser também um método eficaz e seguro que permite uma melhoria considerável na interação mãe-bebê (Field, 1996).
 

Bavolek (1993) afirma que “ensinar a massagem infantil como parte de um programa global de educação parental poderá ajudar a quebrar o ciclo de abuso existente em muitas famílias”, pois a criança aprende a ter mais consciência do seu corpo e do toque, sabendo assim, tudo o que se passa no corpo.