Kojji



Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

MASSOTERAPIA


Compre: MASSOTERAPIA


Quantidade Valor PAC Total
1 R$ 100.00 R$ R$ 100

Quantidade Valor Pack 1 PAC Total
3 R$ 240.00 R$ R$ 240

Quantidade Valor Pack 2 PAC Total
10 R$ 750.00 R$ R$ 750

Pague com PagSeguro - é rápido, grátis e seguro!

PROMOÇÃO: Agende uma sessão de Massoterapia e ganhe grátis Quiropraxia e Auriculoterapia.

A massagem é uma arte milenar de cura, tratamento e bem-estar. Surgiu desde a remota pré-história e foi desenvolvendo-se ao longo do tempo em diversas culturas, de formas variadas. Atualmente é conhecida como Massoterapia e pode ser considerada como uma das formas de trabalho corporal ou Bodywork.

Embora os profissionais da área de saúde prefiram situar a massagem num contexto de terapia sob uma ótica exclusivista em relação ao conceito instituído de saúde, a arte da massagem deve ser entendida com mais profundidade. Até porque, em suas origens orientais o conceito de corpo não é dicotomizado e  fragmentário como no ocidente. Desta forma, deve-se entender a massagem não só como uma terapia, mas como uma arte, e como tal, pode desencadear processos de cura profundos, além do fisiológico.

A arte aqui referida é a arte de tocar, não só o corpo, mas também a alma. Este toque profundo traz um equilíbrio geral que acaba culminando num processo curativo. Mas o objetivo do toque não é com a intenção específica de curar, mas antes, de humanizar, de aproximar as pessoas de sua verdadeira natureza.

Com efeito, a arte da massagem não se restringe à busca da cura física, mas de uma busca natural de proporcionar deleite e prazer, resgatando a mais profunda naturalidade do ser humano através do toque e da presença.  

 

A massagem produz diversos efeitos no corpo, no emocional e no espiritual.  Justamente por se tratar de um estímulo mecânico e tátil, ao mesmo tempo em que é um contato físico e pessoal, e também energético e espiritual, ela produz reações salutares no organismo que a recebe (seja uma planta, um animal ou um ser humano).

Conforme Cassar (2004, p.56), “estas conseqüências ou efeitos da massagem são consideradas mecânica, neural, química e psicológica (Yates, 1989), ou simplesmente mecânica e reflexa (Mennell, 1920)”. E acrescenta que: “todas estas hipóteses são significativas e certamente se relacionam com cada outra e com subjacência dos fatores psicológicos.”

Os efeitos da massagem variam de um cliente para outro. Uma pessoa pode apresentar uma resposta positiva em um curto período de tempo, enquanto outro pode necessitar de um tratamento mais prolongado. As reações iniciais à massagem podem ser agradáveis ou desagradáveis. Por exemplo, num tratamento de lombalgia, a dor pode melhorar ou piorar, ou ainda, ficar dolorido o local manipulado durante um a dois dias, para depois melhorar efetivamente.

Embora a massagem seja um conjunto agradável de manipulações, algumas das manobras são mais agradáveis que outras. Enquanto que outras podem gerar alguma dor ou desconforto durante a sua execução. A massagem Shiatsu, por exemplo, costuma ser dolorosa, pois os pontos de acupuntura congestionados podem estar bem doloridos ao simples toque.

Alguns pacientes relatam um “dorzinha gostosa”, que se trata de uma dor agradável e curativa. O corpo sente que está sendo beneficiado, pois a massagem está proporcionando alívio e bem estar. 

Algumas vezes, ocorre um congestionamento nasal, que logo passa. Outras vezes, pode ocorrer o desejo de urinar ou defecar logo após a sessão, ou até diarréias freqüentes, erupções na pele ou sudorese intensa, estes são mecanismos de desintoxicação do corpo, que ao ser estimulado passa a expulsar as toxinas.  É importante informar ao cliente essas possíveis reações, para que este esteja preparado.

O objetivo da massagem não é diagnosticar ou curar, mas auxiliar nos processos curativos do próprio corpo: “Nós estamos ajudando a liberação de bloqueios no corpo, deixar o fluir a informação pelo sangue, linfa e energia. O corpo-mente-espírito pode então ter a melhor chance de curar a si mesmo” (WALKER, 2003, p. 107).

De uma maneira geral podemos elencar os seguintes benefícios da Massoterapia:

  • Auxilia no alívio de dores em geral: cefaléias tensionais, lombalgia, torcicolos, contusões, estiramentos, cólicas menstruais, entre outras.
  • Diminui o estresse e acalma o sistema nervoso.
  • Alivia dores, tensões, espasmos e rigidez musculares.
  • Acelera a recuperação e cicatrização de machucaduras e procedimentos cirúrgicos, hematomas, estiramentos musculares e ligamentosos
  • Aumenta a flexibilidade e os  movimentos das articulações.
  • Melhora a circulação sanguínea e o trânsito dos nutrientes e da linfa.
  • Nos casos de hipertensão arterial, promove uma redução natural.
  • Melhora o estado de vascularização e nutrição da pele, promovendo um rejuvenescimento desta.
  • Melhora a postura, corrigindo possíveis desvios da coluna e bacia.
  • Estimula o bom funcionamento do sistema imunológico.
  • Estimula a criatividade, a concentração e memória. Durante a massagem é muito comum surgirem insights e soluções criativas para as situações do dia-a-dia.
  • Reduz os gastos com medicamentos e assistência médica, uma vez que o corpo fica mais saudável e adoece menos.
  • Promove um bem estar geral, físico, mental e emocional. 

 

  • EFEITOS FISIOLÓGICOS
  • Os efeitos fisiológicos são produzidos pela ação mecânica exercida pelas mãos, dedos, cotovelo e joelho sobre o corpo. Esta ação é produzida pelas manobras de massagem que consistem basicamente em fricção, deslizamento, pressão e percussão sobre as diferentes áreas do corpo, não somente nas regiões com adjacência muscular e orgânica (os tecidos moles, como citam a maioria dos autores), mas também sobre locais de adjacência óssea.

    Os efeitos biomecânicos referem a influência direta da massagem sobre os tecidos moles do corpo, creditando aos movimentos da massagem os seus efeitos como sendo unicamente biomecânicos, entretanto, não é possível atribuir apenas aos efeitos biomecânicos os resultados da massagem, porque de todo modo, sempre há um contato na pele que aciona os reflexos neurais (CASSAR, 2004).

    Conforme Chaitow L. Presentation (2001, apud Cassar, 2004, p.6): “massagem tem o potencial para influência emocional, bioquímica e biomecânica, usualmente sem adicionar excessiva carga de adaptação, e é conseqüentemente colocado excepcionalmente para ser aplicado na maioria das situações, do menores ferimentos até as condições terminais.”

     

    Cassar (2004, p.6) aponta os benefícios da massagem pela ação mecânica e física (biomecânica e bioquímica), como também pela ação energética e psico-social (da presença e do toque do outro) da seguinte maneira:

    "Os benefícios da massagem são vistos como sendo primariamente baseados nos princípios físicos biomecânicos, i.e. baseados cientificamente. Outros vêem a massagem como um meio com o qual  uma troca de energias pode ocorrer entre o terapeuta e o recipiente e por isto, usando uma aproximação focalizada, o equilíbrio das energias pode ser ativado. Cura espiritual e toque intuitivo são aproximações similares. Outros colocam a importância sobre os fatores emocionais e psicológicos influenciando as doenças e curando-as. A significância de cada uma dessas perspectivas não é diminuída mesmo que não estão consultados sempre neste texto e apesar do fato que a ênfase aqui está primeiramente nos aspectos biomecânico, bioquímico e psico-social da massagem.

    O valor terapêutico da massagem se estende além da relaxação, embora nela mesma esteja o remédio e suas conseqüências benéficas curativas. Muitos movimentos da massagem têm os efeitos terapêuticos adicionais de facilitar a firmeza (ou relaxamento) dos músculos e aumentar a circulação. Entretanto, algumas técnicas são denominadas “aplicadas” porque elas são usadas para um efeito específico; por exemplo, para aumentar a drenagem linfática ou dar assistência para o peristaltismo do cólon. Seu uso é determinado pelas condições que estão sendo tratadas; invariavelmente a massagem é  executada não para curar uma desordem, mas para aliviar alguns dos sintomas."

    De acordo com Fogaca, Carvalho e Verreschi (2007) a massagem terapêutica exerce pela estimulação táctil-cinestésica os seguintes efeitos fisiológicos:

    "O impacto da massagem terapêutica sobre a secreção de cortisol, em lactentes sadios, tem sido estudado por nós.40 Utilizando um radioimunoensaio para cortisol salivar, cujo controle de qualidade vem sendo aprimorado,41 as concentrações de cortisol salivar foram observadas antes e após a massagem terapêutica, constatando-se associação entre a atividade adrenocortical e a resposta comportamental de lactentes, que já apresentavam maturação do eixo hipotalâmico-hipofisário-adrenocortical. Durante a massagem terapêutica, não observamos sinais de estresse nos lactentes massageados. Ao contrário, 64% dos lactentes estudados adormeceram, e os demais apresentaram estado comportamental de alerta-tranqüilo.

    Embora o ritmo circadiano não tenha sido perdido, os valores de cortisol foram modificados em todos os lactentes, após a massagem terapêutica. Os resultados encontrados em nosso trabalho, demonstram a reatividade do sistema adrenal, frente à estimulação cutânea."

    Sobre estimulação táctil-cinestésica e massagem terapêutica, Fogaca, Carvalho e Verreschi (Op. Cit.)  citam ainda as seguintes pesquisas:

    "Kuhn et al.1 investigaram o impacto da estimulação táctil-cinestésica em bebês pré-termos e neonatos, observando seus efeitos sobre o sistema nervoso simpático e a hipófise anterior. Amostras de noradrenalina, adrenalina, dopamina, cortisol e creatinina na urina foram obtidas, e concentrações séricas do hormônio de crescimento foram analisadas. Os resultados obtidos nesse estudo demonstraram que a estimulação táctil-cinestésica, em bebês pré-termos, produz efeitos na maturação e/ou na atividade do sistema nervoso simpático. O aumento de excreção urinária de adrenalina e noradrenalina, após estimulação táctil-cinestésica, foi associado a ganho de peso e maturação comportamental nos dois grupos estudados. Em contraste, os níveis urinários de dopamina e cortisol foram elevados e o hormônio de crescimento declinou nos dois grupos. Tais resultados demonstram a estreita relação entre a maturação do sistema nervoso simpático e os efeitos da estimulação táctil-cinestésica.

    Mooncey et al.37 avaliaram o efeito da massagem em bebês pré-termos, internados em unidade de cuidados intensivos neonatal. Amostras plasmáticas de adrenalina, noradrenalina e cortisol foram obtidas 45 minutos antes do início da massagem e aproximadamente uma hora após a sessão de massagem. Observou-se redução nos níveis de cortisol, enquanto que os níveis de adrenalina e noradrenalina não apresentaram alterações significativas. Esse estudo mostrou a influência da massagem frente às concentrações plasmáticas de cortisol e catecolaminas.

    Outro estudo, realizado por Acolet et al.38 procurou avaliar os efeitos do contato pele-a-pele entre mães e bebês. Amostras plasmáticas de cortisol e beta-endorfina foram coletadas de recém-nascidos pré-termo, internados em unidade de cuidados intensivos neonatal. As concentrações de cortisol e beta-endorfina foram significativamente reduzidas, após o contato pele-a-pele. A redução nas concentrações de cortisol e de beta-endorfina indicou que a reatividade do eixo HHA foi alterada pelo contato pele-a-pele entre mães e bebês. Esses achados enfatizam a responsividade do sistema hormonal de bebês em relação ao referido contato.

    Gitau et al.,39 também, avaliaram o contato pele-a-pele entre mães e bebês pré-termo e o efeito da massagem sobre a secreção de cortisol salivar. Durante o período de contato pele-a-pele, houve redução significativa de cortisol salivar. Em relação à massagem, os níveis de cortisol salivar variaram, ou seja, em alguns bebês os níveis de cortisol foram reduzidos e em outros bebês elevados, ou não sofreram alteração. Os autores também, procuraram demonstrar a reatividade do eixo HHA frente ao contato pele-a-pele, entre mães e bebês, e o efeito da massagem."

     

    Field (2003,p. 34) relata estudos feitos por Neema Modi e seus colegas do Hammersmith Hospital (Londres), com imagens de ressonância magnética em recém nascidos, sugerindo que a área de memória do cérebro (o hipocampo) pode ser mais desenvolvida após a massagem:

    "Isto acontece também nos ratos. Pesquisas sugerem que a razão é que a estimulação extra da pressão abaixa níveis do cortisol (hormônios do stress), e força a mais baixos níveis do hormônios permite um desenvolvimento maior da célula do nervo no hipocampo. Os mesmos podem aplicar-se com o bebê recém-nascido; pesquisas feitas no Touch Research Institutes e por Neema Modi mostram que os níveis do cortisol diminuem após uma massagem. Se há menos senilidade nas pessoas que receberam toques mais cedo na vida é ainda uma pergunta aberta, nem nós, contudo, sabemos se os efeitos da privação do toque   podem ser reservados para depois na vida. Por exemplo, avós voluntárias que foram massageadas e massagearam os bebês no estudo descrito no capítulo precedente pôde ter experimentado a memória melhorada, mas nós não sabemos se isto é verdadeiro ou não, porque, desafortunadamente, nós não medimos a memória neste estudo. Nesta via, entretanto, diversos centros de computação da universidade relataram que um número desproporcional de seus programadores de computador vem da Índia e podem recordar quantidades grandes dos números. Isto pode relacionar-se à prática na infância difundida de fornecer duas massagens ao dia aos bebês na Índia."

     

    Efeitos Sobre a Pele

    Como a pele é o nosso revestimento externo, a massagem para atingir as estruturas internas, toca-a necessariamente. E com isto produz efeitos sobre esta. Estes efeitos se dão no tecido local, na própria derme, como também, produz alterações metabólicas e fisiológicas.

    Dentre os efeitos diretos sobre a pele estão a aceleração da cicatrização, aderências, aumento do afluxo de sangue arterial, escoamento da linfa e do sangue venoso, analgesia, aumento da temperatura local, liberação de resíduos metabólicos e células mortas, resultando numa pele macia, com mais jovialidade e elasticidade.

    O aumento da vascularização local  ou hiperemia, proporciona uma vasodilatação capilar, aumentando sua permeabilidade, que conduz a uma melhor irrigação da derme e do tecido celular subcutâneo, estimula a produção de elastina e colágeno, bem como, o aumento dos fibroblastos (células provenientes das células conjuntivas)  e absorção de nutrientes que resultam em mais elasticidade e beleza para a pele.

    Ocorre ainda um aumento dos leucócitos (glóbulos brancos) situados localmente, que ativa os elementos retículo-endoteliais (importantes na defesa geral) e corpos de imunidade do mesênquima (órgão do suporte dos tecidos), juntamente com a liberação da histamina (agente de defesa orgânica) e a acetilcolina, que contribui para a vasodilatação. Isso significa que o sistema imunológico é auxiliado com a massagem. Pesquisas indicam que a massagem pode produzir efeitos específicos, como o aumento da atividade de eliminação de células mortas (citotoxidade) através da percepção e adaptação que envolvem os centros superiores e o sistema límbico (IRONSON et al., 1996 apud CASSAR,2004).

    Fogaca, Carvalho e Verreschi (Op. Cit.) falando sobre a pele na produção de alterações metabólicas e fisiológicas pela estimulação cutânea, que corroboram com as recentes descobertas que indicam a pele como órgão neuroendócrino:

    "A estimulação cutânea pode produzir mudanças metabólicas e fisiológicas no que se refere ao sistema neuroendócrino e imunológico. A pele funciona como uma barreira biológica metabolicamente ativa, separando a homeostase interna do ambiente externo.4,19

    A pele humana pode ser afetada por hormônios. Os hormônios regulam a homeostase cutânea.4 As células epidérmicas podem metabolizar hormônios, e receptores cutâneos ativos convertem sinais hormonais em respostas fisiológicas. O metabolismo de hormônios esteróides na epiderme humana é governado por enzimas específicas encontrados nos queratinócitos. Os queratinócitos epidérmicos e os fibroblastos da pele podem metabolizar hormônios esteróides para produzir novas ações hormonais na pele.20"

     

    No caso da massagem estética, a pele e seus anexos são as principais estruturas visadas. Os efeitos sobre a pele são de revitalização da pele, atenuação de rugas de expressão, redução da celulite e gordura localizada, eliminação de células mortas e restos de secreções das glandulares cutâneas.  Beneficia a circulação sanguínea e linfática, e as glândulas sudoríparas e sebáceas. Melhora a nutrição local, e estimula a produção de colágeno e elastina, mantendo a pele mais jovial, macia e resistente.

     

    Efeitos Sobre os Músculos e Ossos

    Incluindo-se também os trabalhos de movimentação articular (cinesioterapia passiva) e alongamentos, os benefícios se estendem para a flexibilidade corporal que trazem mais mobilidade articular, melhor movimentação, liberação de contraturas musculares e compressões intervertebrais, removendo dores causadas pelo pinçamento da radícula nervosa e melhorando o funcionamento das estruturas relacionadas à inervação.

    Kellogg (1996, p.27) trás uma nova importância para os efeitos da massagem referindo a melhora da circulação que aumenta a nutrição dos ossos e também dos músculos:

    "Que a massagem é capaz de influenciar estruturas duras como os ossos, os ligamentos, e as cartilagens, é demonstrado claramente por fatos e por numerosas observações. Um osso tem essencialmente o mesmo suprimento de sangue que seus músculos sobrejacentes. É por esta razão que o mesmo exercício que causa o aumento no tamanho de um músculo, induz ao mesmo tempo o crescimento no osso a que o músculo é unido. … Os vasos sanguíneos e os linfáticos são maiores na vizinhança das articulações, e a mudança dos líquidos efetuados pelos movimentos articulares, resultando da ação dos músculos em cima dos ossos, produz necessariamente o aumento na nutrição destas partes, e conseqüentemente um crescimento aumentado nas cartilagens, nos ligamentos, e em outras estruturas da articulação."

    As manipulações de pressão produzidas nos músculos, alongam e relaxam as fibras musculares, aumentam o tônus e o potencial elétrico.   Os exercícios intensos acidificam o tecido muscular, devido ao acréscimo do ácido lático, resultando em  cansaço e dores musculares. A massagem acelera a eliminação deste, bem como o ácido carbônico e fosfórico, eliminando o cansaço e as dores.

     

  •  Efeitos Sobre a Circulação

    De acordo com Kellogg (1996, p.27-28), a massagem exerce profundos efeitos sobre a circulação geral e local, sendo que seus efeitos diferem conforme o tipo de estimulação aplicada e o local onde é aplicada:

    A massagem geral aumenta a taxa e a força dos batimentos cardíacos, como nos exercícios, com a diferença de que  não eleva a tensão arterial como nos exercícios, e não aceleram o coração ao mesmo grau, mas produz através dela um pulso cheio e forte. Isto é devido ao fato de que a influência é principalmente em cima da circulação periférica. O vigor da atividade circulatória é aumentado não somente em resposta a grande demanda para remover as toxinas resultantes da oxidação como nos exercícios, mas através do auxílio mecânico recursados pela massagem, movimentando para diante o sangue venoso e vasos linfáticos, e  no ajuste acima das atividades reflexas por meio dos pequenos vasos dilatados e das suas atividades aceleradas. A influência reflexa da massagem age como um tônico para o coração, quando a dilatação dos vasos diminui a sua resistência de modo que o coração aja mais livremente e eficientemente em executar suas funções.

    Localmente, o efeito da massagem produz uma ativa hiperemia local. Sobre a influência da massagem os vasos sanguíneos se tornam mais ativos, bombeando para diante o sangue dentro das veias, através disso o fluxo é auxiliado materialmente pelas manipulações. O aumento do sangue é usualmente acompanhado pelo avermelhamento da superfície e um aumento do calor, sensibilidade e atividade vital geral.

    Percussões suaves na superfície causam constrição dos vasos sangüíneos da porção abaixo da pele. Percussões fortes muito rápidas produzem dilatação dos vasos sanguíneos, os quais podem mesmo chegar a paralisia. Percussões suaves, se suficientemente prolongadas, também produz dilatação.

    Quando aplicados para a área reflexa, percussão sem dúvida também excita a circulação nos vasos do centro nervoso relacionado.

    Massagem no abdome diminui a pulsação pelo aumento geral da pressão sangüínea. Ambos são acompanhados pela estimulação dos músculos abdominais, assim aumentando a pressão intra-abdominal, e também pela estimulação da vasoconstrição dos vasos abdominais. Ao mesmo tempo, são produzidas a hiperemia colateral da pele e dos músculos abdominais e assim a congestão visceral é diminuída.

     

     

    Efeitos Sobre o Sistema Nervoso

    Os mecanismos neurais são influenciados pela intervenção manual e ação sobre os tecidos. O processo é centralizado sobre a inter-relação dos sistemas nervosos central (SNC) e periférico (cutâneo), seus padrões reflexos e múltiplas conexões. Além disso, o sistema nervoso neurovegetativo (SNV) e o controle neuroendócrino também estão envolvidos (GREENMAN, 1989, apud CASSAR, 2004).

    Os efeitos da massagem sobre o sistema nervoso são de analgesia para alívio de dores e calmante ou tônico geral.  As alterações dos níveis de cortisol, dopamina, adrenalina, noradrenalina,  creatinina, beta-endorfina  e hormônio do crescimento (Fogaca, Carvalho e Verreschi, 2007; Field, 2003) atuam diretamente no sistema nervoso, produzindo desenvolvimento e maturação deste, bem como, produzindo um estado de relaxamento, paz e tranqüilidade, ou estimulando, tonificando e produzindo um estado de vivacidade, energia e vigor.  

    A diminuição dos níveis de cortisol (hormônios do estresse) trás significativos efeitos sobre o sistema nervoso, uma vez que o stress acarreta irritabilidade e dores, que acabam afetando o comportamento geral e produzindo um círculo vicioso de cada vez mais stress. A massagem quebra este circuito de stress.

    A pressão é uma das manipulações usadas na massagem em geral, e mais utilizadas na Shiatsu. “O efeito da pressão é diminuir o inchaço e a congestão, e assim diminuir a dor. Pressão diminui a dor pelo esvaziamento dos vasos sanguíneos e pelo entorpecimento dos nervos.” Quando é realizada uma forte pressão, firme e profunda por algum tempo, sobre o tronco nervoso, principalmente nos “pontos motores”, que estão localizados sobre a superfície onde se localiza o troco nervoso, logo abaixo da epiderme, entre os espaços vertebrais, o efeito é de amortecimento e sedativo. Por outro lado, a pressão suave  e repetida sobre o tronco nervoso é de estimulação. (KELLLOGG, 1996, p.54).

    A massagem por pressão pode ser usada efetivamente para sedar dores nevrálgicas como neuralgia de trigêmeo e lombociatalgia, bastando exercer uma pressão forte, firme e prolongada até que se consiga a devida sedação. A tonificação dos nervos serve para estimular o funcionamento orgânico, seja dos órgãos internos,  dos membros, do rosto ou dos órgãos sensoriais.

    Este aumento do tônus neural aumenta também o tônus muscular, combatendo flacidez e fraqueza. Proporciona força e vigor orgânico. Pode ser aplicado em casos de intestinos preguiçosos, aumento da diurese, má digestão, urina solta, impotência, frigidez, olhos, ouvidos, nariz, distúrbios glandulares, etc.

     

    Efeitos Sobre os Órgãos Internos

    Como foi visto acima, a estimulação nervosa proporcionada pela massagem ativa o funcionamento dos órgãos internos. Uma vez que funcionam pela ativação neural, proporcionar estímulos que atinjam suas respectivas inervações através da massagem irá ativar o seu funcionamento.

    De acordo com Brotzu, Corradin & Di Stanislao (2008) a massoterapia ativa a energia Ki, o sangue e as articulações. O aumento da irrigação e do metabolismo age diretamente nos órgão internos:

    A massoterapia ativa o Qi, a energia ou a respiração vital, e o sangue, desbloqueia os canais (vitais) e amacia as articulações. As reações fisiológicas nos tecidos locais ativam e melhoram a circulação da secreção linfática e do sangue. A massagem aumenta a irrigação do sangue que favorece o metabolismo dos tecidos e a absorção do edema do sangue extravasado de hemorragias antigas. Do momento em que a flexibilidade dos músculos e dos ligamentos melhorou sua função normal se estabelecem também. Logo, a função da massoterapia é agir diretamente nos órgãos lesionados a fim de eliminar indiretamente a causa da disfunção ou com a melhoria do equilíbrio de modo que produz o fortalecimento dos órgãos; cura as doenças orgânicas através deste último mecanismo.

    Kellogg (1996, p.41) também destaca o valor terapêutico da massagem relacionado com o aumento da circulação e suas conseqüências diretas sobre a nutrição, relacionadas aos órgãos internos:

    "Os antigos, bem como os modernos médicos consideraram a massagem como uma medida porque o processo nutritivo geral do corpo é influenciado em seu mais poderoso grau. O valor da massagem como meio terapêutico releva-se por sua influência notável sobre a circulação, a estimulação direta e indireta dos nervos e os centros nervosos, e sua notável influência sobre a assimilação,  desassimilação, (anabolismo e catabolismo) e de todos os processos de secreção e  excreção."

     

    EFEITOS PSICOLÓGICOS

    Os efeitos psicológicos produzidos pela massagem resultam do contato pessoal, do toque enquanto carícia, do contato interpessoal, da presença do outro interagindo com o recipiente. E também da ação sobre a energia vital e espiritual. A interação da energia psicoterapêutica produzida pelo contato entre o paciente e o massoterapeuta também é responsável pelos efeitos salutares da massagem (CASSAR, 2004):

    "O efeito psicoterapêutico ou psico-social da massagem é muito relevante para os resultados do tratamento. Como um resultado da relaxação fornecida pela massagem,  a sensibilidade do recipiente para a ansiedade e o estresse fica bem reduzida. Isto em si mesmo pode ser a única mudança necessária para ocorrer uma cura.  O efeito placebo também pode ter lugar, quando uma forte crença de que a massagem pode ajudar tem uma poderosa influência sobre os mecanismos de auto-cura do recipiente."

    Esse contato exerce um efeito afetivo e sociabilizante que irá trazer, como corolário, um aumento na auto estima e auto confiança, relaxamento emocional, tranqüilidade e paz. Ao mesmo tempo, experimenta-se um sentimento de alegria, prazer e bem estar.

    Algumas pesquisas no campo da psicologia apontam que as pessoas que cresceram sem toques, abraços e beijos se tornam inseguras e sem auto estima. Neste sentido, a massagem suplementa essa falta, trazendo confiança e amor. Desenvolvendo a capacidade para sociabilização e afetividade. O efeito bio-elétrico do contato com a pele e o estímulo sensório provocados pela massagem já produzem um efeito salutar, porém parcial; assim, é necessário que a massagem seja feita com amor e carinho.

    As manobras suaves, lentas e repetidas, promovem um efeito calmante geral. Neste caso, é necessário que não se produza dor ou desconforto. Por outro lado, de efeito inverso, uma massagem rápida e vigorosa, promove um efeito estimulante e revigorante.